Cuidados faciais: novos aparelhos reduzem a papada

Share on FacebookPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on Twitter

Gordura na papada está com os dias contados

Novos tratamentos para gordura abaixo do queixo (Foto: Think Stock)

Se você se queixa daquela gordurinha no papo que, muitas vezes, até muda o contorno do rosto pode recorrer à tecnologia. Os consultórios dermatológicos agora possuem aparelhos que não são tão invasivos como uma cirurgia e prometem eliminar o excesso da área. Confira algumas novidades:

Lipossonix: ultrassom microfocado potente e específico para essa área da papada. “O calor localizado provoca a morte das células gordurosas (apoptose) e por isso o resultado é de longa duração”, explica a dermatologista Mônica Aribi. O resultado é concluído após 12 semanas da aplicação. Sessões: apenas uma de 20 minutos em duração.

NeckSculpting: o laser robótico é aplicado no pescoço e papada tratando a gordura localizada e flacidez. É indolor e não é ablativo. “No máximo fica uma pouco vermelho, mas pode ser facilmente disfarçado com maquiagem”, ensina o dermatologista Otávio Macedo. Sessões: cerca de 4 sessões a cada 15 dias e cada aplicação dura em média 30 minutos.

Legacy: promove uma sucção controlada com drenagem linfática, estimulando a circulação. Há também no mesmo aparelho, a RadioFrequência e o Pulso Magnético que trabalham na síntese do colágeno, vascularização e no ataque às células de gordura. “A indicação de sessões varia de paciente, mas o recomendado para o rosto é de seis, uma vez por semana”, ensina a dermatologista Ana Carolina de Sumam.

Tiny: tratamento de criolipólise do CoolTech que consiste na aplicação de baixa temperatura na região da papada, congelando o tecido gorduroso por um período de trinta e cinco minutos em até 0ºC. “Quando o procedimento se encerra, as células de gordura que sofreram o congelamento são liberadas através do metabolismo natural do nosso organismo de forma gradual”, explica a dermatologista Claudia Marçal. Sessões: de uma a três sessões (com intervalo de dois meses), dependendo da necessidade do paciente.

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA:
Marie Claire

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *